TAP aumenta até 50 euros os preços dos bilhetes de viagem

A Transportes Aéreos Portugueses (TAP) anunciou recentemente o aumento dos preços de bilhetes de viagem devido a subida do combustível jet. A sobretaxa vai variar entre três e 25 euros para viagens de ida e entre seis e 50 euros para ida e volta.

A CEO da TAP apontou a guerra russo-ucraniana como o principal factor da subida dos preços. E, apesar da incerteza na dimensão futura do seu impacto, esperam-se tempos mais severos

“Os preços do combustível estão a aumentar e os analistas esperam um impacto extremo. Temos de estar preparados e por isso os preços das passagens têm de subir”, justificou Christine Ourmières-Widener, utilizando como exemplos a British Airways ou a Latam.

Os aumentos vão variar em função das regiões, das rotas e da classe do bilhete. Será mais elevados nos voos de longo curso, onde há maior consumo de combustível.

No comunicado citado pela ECO, a companhia refere que pretende continuar a manter a sua força competitiva, pelo que, vai sempre tomar as medidas mais adequadas em matéria de preços para cada momento e em cada rota específica.

A cotação do jet fuel disparou nos mercados, acompanhando a escalada do preço do petróleo. Segundo os dados da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), o valor médio do combustível usado nos aviões está este ano nos 112,5 dólares por barril, mais 45% do que em 2021. O que representa um sobrecusto para a indústria de 82,1 mil milhões de dólares.

Para se defenderem de uma subida das cotações do jet fuel, as companhias aéreas fazem contratos financeiros de cobertura, que, na prática, lhes permitem fixar o preço que pagam pelo combustível num determinado período. Como o ECO noticiou, a TAP fez contratos de hedging para metade do jet fuel que previa consumir na primeira metade do ano.

A CEO da transportadora revelou hoje que a companhia já está a fazer o mesmo para o segundo semestre.

“Estamos a começar a fazer o hedging para o terceiro e quarto trimestres. Queremos chegar a uma cobertura de 50%, semelhante à do primeiro semestre, mas vai depender do preço do jet fuel”, afirmou Christine Ourmières-Widener.

A TAP vai repor cerca de 90% da capacidade que oferecia antes da pandemia no verão IATA, que começa a 27 de Março, “com a expectativa de que a procura acompanhe este aumento da oferta”. Este reforço levou já a companhia a suspender a redução de horário dos tripulantes e a anunciar a reintegração de trabalhadores que foram abrangidos pelo programa de saídas em 2020.

Partilhar este artigo