Sony quer construir robôs que possam vir a ganhar um Prémio Nobel

Sony quer construir robôs que possam vir a ganhar um Prémio Nobel

Os sistemas de IA e aprendizagem automática têm mostrado uma grande evolução e mais-valias para a pesquisa científica em diversos campos. Com isto em pensamento, o CEO da Sony Computer Science Laboratories, Hiroaki Kitano, planeia criar uma “forma híbrida de ciência que levará a biologia de sistemas e outras ciências para a próxima fase”. Para isso, Kitano procura lançar o Desafio Nobel Turing e desenvolver um robô científico capaz de ganhar o Prémio Nobel até 2050.

Por outras palavras, o investigador pretende criar uma Inteligência Artificial que seja capaz de se equiparar a algumas das mentes mais brilhantes da história da humanidade. “A particular característica deste desafio é colocar o sistema num domínio aberto para explorar descobertas significativas, em vez de redescobrir o que já sabemos ou tentar imitar os processos de pensamento humano especulados”,  Escreveu Em Junho Kitano. “A visão é reformular a própria descoberta científica e criar uma forma alternativa de descoberta científica”, frisou o investigador.

“O valor está no desenvolvimento de máquinas que podem fazer descobertas de forma contínua e autónoma”, acrescentou. “A IA científica irá gerar e verificar tantas hipóteses quanto possível, esperando que alguma possa levar a grandes descobertas por si mesmas ou ser uma base para outras descobertas principais. A capacidade de gerar hipóteses de forma exaustiva e eficiente e verificá-las é o núcleo do sistema”, explica.

A Inteligência Artificial dos dias atuais é o resultado de vários anos de pesquisa e experimentação, que remonta a 1950 com o artigo Maquinaria Computacional e Inteligência, de Alan Turing. O chefe de pesquisa de IA da Sony, espera dar mais um passo nesse sentido e criar a “AI Scientist”, que, de acordo com Kitano, é uma “constelação de módulos de software e hardware que interagem dinamicamente de forma a realizar tarefas”.

“Inicialmente, será um conjunto de ferramentas úteis que automatizam parte do processo de pesquisa em experimentações e análise de dados”, disse o investigador ao Engadget.

Partilhar este artigo