Rolls-Royce revela seu primeiro carro eléctrico

Rolls-Royce revela seu primeiro carro eléctrico

O CEO da Rolls-Royce Motor Cars, Torsten Müller-Ötvös, anunciou, na quarta-feira (29), o primeiro carro eléctrico da marca, um sedan apelidado de “Spectre”. Até o final da década a empresa será completamente eléctrica.

Em 1900, Charles Rolls, fundador da Rolls-Royce, experimentou o primeiro protótipo de um carro eléctrico que na altura competia com veículos movidos a gasolina.

“O carro eléctrico é perfeitamente silencioso e ecológico. Não tem qualquer odor ou vibrações, e deve tornar-se muito útil quando as estações de carga fixas estiverem equipadas. Mas por agora, não prevejo que sejam muito úteis – pelo menos durante muitos anos”, disse, na época, o fundador da Rolls-Royce.

Demorou mais de um século, mas agora os carros eléctricos estão a conquistar o seu lugar, e a Rolls-Royce está a entrar no mercado.

O carro eléctrico é perfeitamente silencioso e ecológico, Charles Rolls (1900)

“Hoje, 117 anos mais tarde, tenho orgulho em anunciar que a Rolls-Royce vai iniciar o programa de testes na pista para um novo produto que vai impulsionar a revolução mundial dos carros exclusivamente eléctricos e criar o primeiro – e melhor – produto de super-luxo do seu tipo. Este não é um protótipo. É o verdadeiro. Será testado aos olhos de todos e os nossos clientes receberão as primeiras entregas do carro no quarto trimestre de 2023”, anunciou o CEO.

A Rolls-Royce não revelou quaisquer detalhes sobre o veículo a não ser o nome e a data de lançamento.

A fabricante também partilhou algumas imagens de um protótipo fortemente camuflado, que diz que vai parecer-se com a versão de produção:

Juntamente com o seu primeiro carro eléctrico, a Rolls-Royce confirmou igualmente que a marca vai tornar-se totalmente eléctrica até ao final da década.

“Com este novo produto estabelecemos as nossas credenciais para a electrificação completa de toda a nossa linha de produtos até 2030. Até lá, a Rolls-Royce já não estará no negócio de produção ou venda de quaisquer produtos de motores de combustão interna”, avançou o CEO da Rolls-Royce Motor Cars.

Partilhar este artigo