Renamo diz que “não vai reconhecer recenseamento eleitoral”, sem “correção de irregularidades”

Renamo diz que “não vai reconhecer recenseamento eleitoral”, sem “correção de irregularidades”

A Renamo, principal partido da oposição, disse hoje que “não vai reconhecer os resultados do recenseamento” para as eleições autárquicas de 11 de Outubro, se não houver uma “correção imediata” das irregularidades no registo de votantes. 

“O que está a acontecer com este recenseamento é uma desorganização organizada. Por isso, a Renamo não vai reconhecer os resultados deste recenseamento, a menos que haja correção imediata das grosseiras irregularidades”, afirmou Viana Magalhães, chefe da bancada da Renamo na Assembleia da República (AR).

Magalhães falava durante o discurso de encerramento da sétima sessão da nona legislatura do parlamento moçambicano.

“Exigimos a correção imediata das irregularidades e a prorrogação do recenseamento por mais 30 dias, de modo que todo o cidadão com capacidade eleitoral activa residente no raio da respetiva autarquia possa registar-se nos cadernos eleitorais”, enfatizou.

O chefe da bancada do principal partido da oposição acusou os órgãos eleitorais de favorecerem o registo de votantes membros da Frelimo, partido no poder, e de não responsabilizarem os funcionários envolvidos em crimes eleitorais.

Viana Magalhães não esclareceu se o não reconhecimento do resultado do recenseamento eleitoral implicará o boicote das próximas eleições autárquicas pelo seu partido.

O recenseamento eleitoral termina no próximo dia 03 de Junho e prevê a inscrição de cerca de 10 milhões de votantes dos 65 municípios do país. (Lusa)

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta