Provedor da Justiça diz que não existe remédio para eliminação brusca da corrupção

Provedor da Justiça diz que não existe remédio para eliminação brusca da corrupção

Problemas relacionadas à corrupção, nepotismo e arrogância crescem nas instituições públicas, entretanto a eliminação dos mesmo exige tempo.

Isaque Chande, Provedor de Justiça, disse ontem durante o seu informe anual não existir “remédio para eliminação brusca desses males”.

A fonte revelou ainda que  o número de queixas remetidas ao Gabinete do Provedor de Justiça tende a aumentar, sendo que neste período  (2022 – 2023) foram remetidas 724 queixas, contra 700 do período 2021-2022, sendo a cidade de Maputo com maior número de casos (436) e a Província de Maputo com 165 casos.

Chande cumpri este ano o seu último mandato, como Provedor de Justiça que iniciou em 2018.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.