Portugal manifesta interesse em estender plataforma lusófona de investimentos para mais países africanos

Portugal manifesta interesse em estender plataforma lusófona de investimentos para mais países africanos

O Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal disse que o seu país está interessado em alargar o Compacto Lusófono, uma plataforma de investimentos, a mais países africanos.

Segundo Gomes Cravinho, está em análise a aplicação da iniciativa para países como África do Sul, Costa do Marfim, Senegal e Gana.

Citado pelo portal ECO, disse que o interesse é alargar a vigência temporal do Compacto Lusófono, bem como levar a sua aplicabilidade a aqueles países.

“São países onde há interesses também para a relação entre a cooperação e o empresariado português”, disse.

O Compacto Lusófono é uma parceria de Portugal e do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), que visa acelerar o crescimento do sector privado e o desenvolvimento de infraestruturas nos seis Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

Numa reunião, que decorreu na quarta-feira no âmbito da visita oficial do Ministro português à Costa do Marfim, o BAD manifestou estar “muito satisfeito” com esta iniciativa, que é “um instrumento de alguma forma inovador e com muito potencial”, sublinhou.

A parceria foi aprovada para cinco anos, de 2018 a 2023, e, em Dezembro, chegaria ao fim, mas a orientação do comité director foi que gostaria de vê-lo continuar por 10 anos, e houve um acordo de princípio por parte do Governo de Portugal para continuar a apoiar, com a garantia financeira de 400 milhões de euros para investimentos nos PALOP.

Actualmente estão em desenvolvimento no âmbito desta iniciativa projectos de investimento de cerca de 7,5 mil milhões de dólares, em várias fases de implementação, nos seis países, nomeadamente Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Guiné Equatorial, segundo o BAD.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta