Persistem divergências sobre emissões e carvão na preparação da COP26

Persistem divergências sobre emissões e carvão na preparação da COP26

O presidente da 26.ª Conferência das Partes (COP26) sobre o clima, Alok Sharma, admitiu na segunda-feira que “persistem divergências”, como o ritmo de redução de emissões até 2050 e o abandono do carvão como fonte de energia.

O político britânico compareceu junto dos jornalistas com a secretária executiva da Convenção Quadro da Organização das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (UNFCCC, na sigla em Inglês), a mexicana Patricia Espinosa, no final de uma reunião em Londres para preparar a cimeira, que se vai realizar em Glasgow, entre 31 de Outubro e 12 de Novembro.

Ambos assinalaram que o encontro de dois dias, com a presença de ministros de 51 países, entre os quais EUA e China, foi “muito produtivo”, se bem que Sharma tenha advertido que ainda há discrepâncias e Espinosa afirmado que “ainda há muito a fazer” para que a COP26 seja um êxito.

Os dois destacaram como principal avanço da reunião, feita com presenças físicas e não de forma virtual, o consenso geral de que “se deve acordar um pacote de medidas específicas para manter o objectivo de limitar a 1,5ºC o aumento da temperatura média global do planeta, por referência à era pré-industrial.

Partilhar este artigo