Países do G7 canalizaram milhares de milhões a mais para combustíveis fósseis

Países do G7 canalizaram milhares de milhões a mais para combustíveis fósseis

Os países do G7 injectaram milhares de milhões de euros a mais em combustíveis fósseis em relação aos apoios concedidos para energia limpa desde o começo da pandemia, apesar do compromisso assumido para uma recuperação verde, de acordo com o ‘The Guardian’.

Um estudo recente revelou, em vésperas da cimeira do G7 no Reino Unido, que as nações participantes se comprometeram a canalizar 154,75 mil milhões de euros para apoiar os combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural) entre Janeiro de 2020 e Março deste ano.

Por outro lado, os mesmos países – Reino Unido, EUA, Canadá, Itália, França, Alemanha e Japão – gastaram 120,36 mil milhões de euros em formas limpas de energia.

O apoio aos combustíveis fósseis dos membros do G7 incluiu medidas para eliminar ou diminuir as regulamentações ambientais, bem como o financiamento directo de petróleo, gás e carvão.

A análise levada a cabo pelo Tearfund, o Instituto Internacional para o Desenvolvimento Sustentável e o Instituto de Desenvolvimento Ultramarino, mostraram que as nações não aproveitaram as oportunidades de que dispunham para tornar mais verde a sua resposta à pandemia.

Na maioria dos casos, o dinheiro fornecido para as indústrias de combustíveis fósseis foi atribuído sem qualquer compromisso, e não com condições que exigissem uma redução nas emissões ou na poluição.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.