Moçambique diz que não vai extraditar funcionária acusada de tráfico de droga na Índia

Moçambique diz que não vai extraditar funcionária acusada de tráfico de droga na Índia

O Governo moçambicano não vai pedir extradição da secretária particular do vice-ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Ana Massuanganhe, detida no mês passado na Índia por tráfico de droga.

A posição foi avançada pela Ministra da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Helena Kida, que justifica a decisão com o facto de não existir um acordo de extradição com a Índia.

“Não é por ser Ana Massuanganhe. Nós não temos acordo de extradição com a Índia então, não tem como materializar e nem viabilizar. Não temos nem na forja e, portanto, era como eu dizia, neste momento, o estado indiano vai saber o que vai fazer e nós vamos assistir”, referiu Helena Kida, citada pela RFI.

Ana Massuanganhe, funcionária do Ministério da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos de Moçambique e secretária particular de Filimão Suaze, vice-ministro da Justiça e porta-voz do Governo, foi detida na Índia no dia 8 de Janeiro, deste ano, período em que se encontrava no gozo de férias.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.