Inflação em Moçambique passa de 3,1% em 2020 para 5,3% este ano

Inflação em Moçambique passa de 3,1% em 2020 para 5,3% este ano

A consultora NKC African Economics considerou na última sexta-feira que a inflação em Moçambique deverá passar de 3,1% no ano passado para 5,3% este ano devido à pandemia de covid-19 e ao aumento do preço do petróleo.

“Antecipamos uma aceleração de inflação para 5,3% este ano, comparada com os 3,1% registado em 2020; o banco central tinha antecipado um aumento da inflação com uma subida inesperada de 300 pontos base na taxa de juro direCtora em Janeiro, mas não esperamos mais mexidas este ano”, escrevem os analistas num comentário à evolução da inflação em Moçambique em Maio.

Moçambique acentuou a deflação (redução de preços) em Maio face ao mês anterior, com o preço do cabaz que serve de cálculo ao Índice de Preços no Consumidor (IPC) de Moçambique a baixar 31 pontos base de Abril para Maio, originando uma deflação mensal de 0,31%, mas ainda assim um aumento de 30 pontos base de 5,19% (em Abril) para 5,49% em Maio, face ao mesmo mês do ano passado.

“Apesar de fraca e contínua procura interna ir continuar a conter a inflação este ano, o índice dos preços vai enfrentar pressões ascendentes devido à depreciação da moeda, aumento dos preços do petróleo e às perturbações das cadeias de distribuição”, escrevem os analistas desta filial africana da Oxford Economics.

No ano passado, o metical caiu 10% num contexto de descida dos preços das matérias primas e uma forte aversão global ao risco, tendo, no entanto, conseguido recuperar parte desta perda nos primeiros meses deste ano, em que registou uma forte subida, entretanto estabilizada.

A inflação acumulada nos primeiros três meses de 2021 é agora de 3,07%.

Moçambique terminou 2020 com uma inflação acumulada de 3,52%.

Os valores do IPC são calculados a partir das variações de preço de um cabaz de bens e serviços, com dados recolhidos nas cidades de Maputo, Beira e Nampula.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta