HIV: É na Europa onde mais cresce a epidemia

HIV: É na Europa onde mais cresce a epidemia

O Director Regional da OMS para a Europa, Hans Kluge, disse, na sexta-feira, que é no continente europeu onde mais cresce a epidemia do HIV, apesar de lá estarem disponíveis todos os tratamentos da doença.

Através de um comunicado citado pela imprensa internacional, revelou que metade das pessoas na Região Europeia recebem um diagnóstico tardio por chegarem aos cuidados de saúde tarde.

“Esta tendência não se alterou nos últimos 10 anos. Em vários países da nossa região, as taxas de mortalidade são inaceitavelmente elevadas, noutros, a transmissão do HIV foi quase completamente interrompida”, escreveu.

No documento, notou que a epidemia se tornou numa “doença crónica normal”, e as pessoas em tratamento podem ter uma vida longa e saudável sem transmitir o vírus. Ele pediu apoio financeiro e de políticas sólidas para as lideranças comunitárias.

Na terça-feira, o programa das Nações Unidas sobre o HIV/SIDA afirmou que a SIDA poderia ser erradicada como ameaça à saúde pública até 2030 se os governos e os doadores fornecessem os meios às comunidades no local onde a doença é combatida.

Actualmente, não existe uma vacina eficaz contra a infecção pelo HIV, mas existem medicamentos que impedem que a infecção pelo HIV evolua para SIDA se o tratamento for iniciado precocemente.

As notícias sobre a propagação do HIV na Europa surgem quando o Presidente do Zimbabué anunciou, na sexta-feira, progressos significativos na prevenção do VIH. Assim, no país, 96% dos adultos conhecem o seu estado; 96% dos adultos que vivem com o HIV estão em tratamento e 93% dos adultos que estão em tratamento têm uma carga viral suprimida, revelam os dados da UNICEF publicados em Julho de 2023. Isto significa que o país alcançou com sucesso os objectivos 95-95-95 do Programa Conjunto das Nações Unidas na luta contra a doença.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta