Governo procura parceria para produção de lacticínios

Governo procura parceria para produção de lacticínios

O governo está à procura de uma parceria profissional para dinamizara cadeia de valor do leite na bacia leiteira Beira e Dondo, na província de Sofala.

A ideia, segundo o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural (MADER), passa pela revitalização da produção deste alimento e seus derivados com base na operacionalização da fábrica de leite e lacticínios localizada na cidade da Beira.

Em 2013, o Governo adquiriu as antigas instalações da fábrica de margarina na Beira com o objectivo de transformá-la em fábrica de leite e lacticínios, como estratégia para a expansão e sustentabilidade da produção leiteira nas cidades da Beira e Dondo, num investimento estimado em mais de 50 milhões de meticais.

Neste contexto, o MADER pretende contratar nova gestão profissional para a fábrica, com vista a dinamizar a cadeia de valor do leite em toda a bacia leiteira Beira-Dondo.

O MADER considera que a produção de leite é uma das maiores fraquezas do subsector pecuário em Moçambique.

Presentemente, e com relativa importância, existe um núcleo antigo de produtores semicomerciais na cidade da Beira e quatro cooperativas de produtores de leite do sector familiar na província de Manica, estabelecidas nos últimos sete anos pelo projecto da Land O ́Lakes, uma organização não-governamental americana.

A produção destes núcleos ainda é muito pequena para suprir as necessidades do consumo nacional, além de que os sistemas de produção são de muito baixa produtividade. A média de produção diária por vaca é de cinco litros e a percentagem de animais em lactação está abaixo de 50por cento.

Para reverter o cenário, as autoridades defendem que os programas para o aumento da produção de leite devem, de forma paralela, promover a intensificação dos sistemas existentes e fomentar animais leiteiros a novos interessados.

Entretanto, são considerados como constrangimentos ao desenvolvimento da cadeia de valor do leite de forma intensiva a falta de animais leiteiros,Ødéfice de conhecimentos técnicos dos produtores e outros interessados, fraca capacidade financeira para melhorar as condições de produção, como instalações, sistemas de rega, de ordenha e de conservação do produto.

Acrescem-se as dificuldades de obtenção a preços aceitáveis de subprodutos para as rações;Øalta incidência das doenças, particularmente as zoonoses tuberculose e brucelose. Nota-se também fraca integração da produção com o processamento e o mercado.

Este quadro só poderá ser revertido com a intensificação do sistema de produção de bovinos de leite baseado no treinamento de criadores e dos seus técnicos no maneio do gado; implementação de um programa de cruzamentos para a criação de leiteiros, ou seja, animais mais adaptados e que produzem leite, entre outras actividades indispensáveis.

Dados disponíveis indicam que, devido à escassez de fábricas de processamento de leite, Moçambique gastava, até há poucos anos, mais de 200 milhões de dólares na importação de lacticínios por ano.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta