Governo exige dinamismo ao sector Agrário e soluções para acabar com perdas pós-colheita

Governo exige dinamismo ao sector Agrário e soluções para acabar com perdas pós-colheita

Primeiro-ministro defende promoção da cadeia de valor de produção de alimentos com foco no agro-negócio.

O governante teceu estas considerações durante a terceira sessão do Conselho Nacional da Segurança Alimentar e Nutricional (CONSAN), realizada na passada sexta-feira, onde fez saber que o dinamismo do sector agrário, colocado no topo da agenda do Plano Quinquenal, está a ser acompanhado através da alocação de 10% do Orçamento do Estado.

Na ocasião sublinhou que toda a cadeia de valor da produção agrícola vai ser posta à prova como forma de inverter um quadro sombrio traduzido em perdas pós-colheita muito altas, com níveis que oscilam entre 30 e 40%.

Carlos Agostinho do Rosário avançou com dados estatísticos nada animadores sobre a insegurança alimentar crónica que continua a afectar 24% da população. Destacou que a prevalência da desnutrição crónica no seio das crianças situa-se na ordem de 43,1% e a incidência da anemia nas mulheres grávidas em idade reprodutiva é da ordem de 54%. 

Partilhar este artigo