Governo aposta no fomento da macadâmia para estimular o sector familiar

Governo aposta no fomento da macadâmia para estimular o sector familiar

Governo perspectiva que a macadâmia será uma das culturas de rendimento responsável por alavancar o sector familiar através do aumento da sua renda.

O vice-ministro da Agricultora e Desenvolvimento Rural, Olegário Banze defende, nesse contexto, para que através do modelo SUSTENTA, sejam definidos os mecanismos da integração deste sector, tendo como fim garantir a sua participação nas acções de fomento e produção pela via das empresas comerciais.

Em Moçambique, a macadâmia é ainda uma cultura emergente e é produzida principalmente nas províncias de Niassa, Zambézia, Manica e Maputo, estando em expansão para outras províncias como Inhambane e Gaza, envolvendo quase que exclusivamente o sector empresarial e, na maioria dos casos, as plantações ainda não atingiram o seu potencial de produção.

“A macadâmia é principalmente um produto de exportação que deve responder a requisitos de elevada qualidade de modo a poder gerar retornos e tornar o investimento viável. Moçambique tem um grande potencial e, neste momento, esforços estão sendo feitos para desenhar passos para explorá-lo e ter sucessos numa perspectiva de longo prazo”, disse.

A fonte falava recentemente em Maputo, durante o primeiro seminário técnico sobre a cultura da macadâmia, organizado pelo Instituto de Amêndoas de Moçambique, IP (IAM), em coordenação com a Associação de Macadâmia de Moçambique (AMM).

Na ocasião, o vice-ministro afirmou que “o objectivo geral destes seminários técnicos é criar um ponto de partida para apoiar os decisores no desenho e implementação da política e estratégia nacional de produção da macadâmia com base no conhecimento sobre a dinâmica do negócio desta noz no mundo e a compreensão dos principais desafios do subsector em Moçambique”.

De referir que o seminário decorreu no formato híbrido (virtual e presencial) e visava dotar de conhecimentos aos quadros-chave dos ministérios da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Indústria e Comércio e Economia e Finanças, bem como investigadores e delegados provinciais sobre a agrotécnicas da macadâmia.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta