Filme moçambicano escolhido para apoio de pós-produção em Veneza

Filme moçambicano escolhido para apoio de pós-produção em Veneza

O filme “As noites ainda cheiram a pólvora”, do realizador moçambicano Inadelso Cossa, está entre as seis obras selecionadas para o programa “Final Cut” do Festival de Cinema de Veneza, anunciou esta segunda-feira a organização.

De acordo a Lusa, o programa “Final Cut” tem “fornecido, desde 2013, assistência concreta para a finalização de filmes de todos os países africanos e do Iraque, Jordânia, Líbano, Palestina e Síria”, recorda o festival, que realça que são atribuídos múltiplos prémios para a pós-produção dos trabalhos, desde correção de cor a mistura sonora, entre muitos outros.

“As noites ainda cheiram a pólvora” é uma coprodução entre Moçambique, Alemanha, França, Noruega, Países Baixos e Portugal.

De acordo com a sinopse disponibilizada em 2019 pelo programa de Talentos do Festival de Berlim, o documentário “As noites ainda cheiram a pólvora” é um “ensaio fílmico para questionar, sarar e documentar as feridas e traumas que a Guerra Civil deixou no território nacional, do ponto de vista das pessoas que sobreviveram, uma jornada pessoal que se cruza com a história do país”.

O realizador, que recebeu uma bolsa de produção e pós-produção do Festival Internacional de Documentário de Amesterdão, nos Países Baixos, explicou, segundo um texto na página desse festival, que, “preocupado com as memórias fragmentadas da infância durante a guerra civil em Moçambique”, regressou à aldeia da sua avó para “revelar as histórias por contar, que ainda assombram a [sua] geração”.

“As noites ainda cheiram a pólvora” vai participar no programa “Final Cut” ao lado de produções provenientes da Tunísia, Nigéria, Iraque, Marrocos e República Centro-Africana.

O 78.º Festival Internacional de Cinema de Veneza vai acontecer entre 01 e 11 de Setembro.

Partilhar este artigo