EUA: “Criptowar” com a China? Falta pouco para o dólar digital

EUA: “Criptowar” com a China? Falta pouco para o dólar digital

Lael Brainard, governador da Reserva Federal dos EUA, anunciou esta segunda-feira, durante uma conferência da CoinDesk, que a instituição financeira reforçou a sua investigação sobre o lançamento do dólar americano digital e está prestes a lançar resultados.

“O banco central deve antecipar as mudanças nas tendências dos consumidores e garantir que os americanos tenham acesso a dinheiro seguro do banco central”, disse Brainard.

O governador aproveitou o momento para destacar os riscos inerentes às coins listadas, como a Bitcoin. “Se as stablecoins fossem amplamente adoptadas e servissem como base de um sistema de pagamento alternativo, orientado em torno de novas formas privadas de dinheiro, há um risco real de uma fragmentação do sistema de pagamentos. O Estado precisa de agir”, reforçou.

O presidente do Fed, Jerome Powell, disse, na semana passada, que a Reserva divulgará um documento ainda este verão, com uma análise detalhada sobre o impacto das criptomoedas no sistema de pagamentos. Aos investidores desejosos desta medida Powell deixou um aviso “à navegação”: independentemente de quaisquer resultados desta investigação, “o lançamento de um dólar digital depende diretamente da chancela do Congresso”.

No verão passado, o Federal Reserve e a Iniciativa para a Moeda Digital do Instituto de Tecnologia de Massachusetts anunciaram uma investigação conjunta para testar uma hipotética plataforma de criptomoeda estatal. O Fed batizou o projeto de “Hamilton”, uma referência a Alexander Hamilton, o Pai Fundador que estabeleceu as bases do sistema financeiro e bancário americano.

Há um mês o Pentágono, o Tesouro dos EUA, o Departamento de Estado e o Conselho de Segurança anunciaram que estão a investigar os planos da China relativos ao yuan digital. A Casa Branca teme que esta seja uma tática subtil de Pequim para derrubar o dólar da sua posição mundial como moeda de transação, já que o yuan digital é isento de taxas de câmbio, confessou uma fonte próxima de Joe Biden à agência Bloomberg.

Além da concorrência financeira, Joe Biden está preocupado com o facto de esta medida ser uma forma de Pequim conseguir escapar às sanções norte-americanas a longo prazo.

O yuan digital é uma moeda de transação online que pode ser operada através da aplicação criada pelo Banco Central de Pequim. Na fase inicial, 100 mil chineses foram convidados a experimentar a nova moeda que vai conviver com dinheiro físico já em circulação.

Do lado da Europa, a Comissão já fez saber que “apoia a exploração de um projecto de euro digital, como elemento potencialmente importante de um sector financeiro digital forte e inovador e de sistemas de pagamento mais eficientes e resilientes”, como anunciou há uma semana o comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta