China pode liderar o mercado africano das energias renováveis

China pode liderar o mercado africano das energias renováveis

Um relatório do Centro de Política de Desenvolvimento Global da Universidade de Boston e do Consórcio Africano de Investigação Económica concluiu que a China pode liderar os investimentos em energias verdes em África.

De acordo com documento citado pela Reuters, a China deverá deverá contribuir para a transição energética através de comércio, do financiamento e do Investimento Directo Estrangeiro.

O estudo refere que o continente africano tem um dos maiores potenciais para o desenvolvimento de energias verdes, mas que para China aproveitar essa vantagem será necessário regredir cerca de duas décadas e colocar nos trilhos as políticas de desinvestimento em energias fósseis.

Os empréstimos às energias renováveis, como a solar e a eólica, concedidos pelas duas principais instituições chinesas de financiamento para o desenvolvimento constituíram apenas 2% dos seus 52 mil milhões de dólares de empréstimos no sector da energia entre 2000 e 2022, ao passo que mais de 50% são atribuídos aos combustíveis fósseis.

“Embora esta via tenha conduzido a receitas de exportação para as economias africanas, os países africanos ainda não estão a receber todos os benefícios das tecnologias de energias renováveis”, afirma o relatório.

Em 2022, os combustíveis fósseis representavam cerca de 75% da produção total de eletricidade em África e cerca de 90% do consumo de energia, segundo o relatório

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.