BM aprova USD 70 milhões para Projeto do Ensino Superior da África Oriental e Austral

BM aprova USD 70 milhões para Projeto do Ensino Superior da África Oriental e Austral

Deste montante, Moçambique recebe 30 milhões de dólares para estabelecer o seu primeiro Centro de Excelência em Sistemas e Inovação Agroalimentar, com o objetivo de criar capacidade técnica e de investigação de alta qualidade para o desenvolvimento agrícola.

“Ao reforçar a investigação e formação em sistemas agroalimentares em Moçambique, e ao expandir colaborativamente a produção de conhecimento e a sua disseminação, este projecto pode ajudar a alargar a base de competências e os sistemas de inovação necessários para um desenvolvimento económico mais sustentado em Moçambique e na região”, observou Emre Ozaltin, Líder de Programa no Banco Mundial (BM) para o Desenvolvimento Humano em Moçambique, citado num comunicado enviado a nossa redacção.

“Este financiamento da Associação Internacional de Desenvolvimento (IDA), continuará a reforçar a capacidade das instituições de ensino superior selecionadas na região, incluindo Moçambique, para ministrar formação em pós-graduação de qualidade e aumentar a capacidade de conduzir investigação em áreas prioritárias”, lê-se no documento.

Na primeira fase do projecto, refere o comunicado, “Moçambique foi um dos países beneficiários e estabeleceu o Centro de Estudos em Engenharia e Tecnologia de Petróleo e Gás, localizado na Universidade Eduardo Mondlane (UEM), que atualmente gere quatro programas de mestrado em áreas relacionadas com petróleo e gás”.

A segunda fase do projecto dos irá fomentar particularmente a cooperação entre Moçambique e o Malawi, e o Conselho Interuniversitário para a Agricultura da África Oriental, para reforçar ainda mais a capacidade da região em fornecer formação de alta qualidade e uma investigação aplicada ao domínio da agricultura.

Vale lembrar que o sector agrário é um dos mais importantes em muitos países da África Subsaariana (ASS), incluindo Moçambique, representando até 14% do Produto Interno Bruto (PIB) do continente.

Quase 50% da população da ASS é empregue através do sector agrário. O sector é também importante para a segurança alimentar, melhoria da nutrição e saúde, crescimento inclusivo, e melhor gestão do ambiente.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta