BdM: Número de queixas contra bancos moçambicanos duplicou no segundo semestre de 2023

BdM: Número de queixas contra bancos moçambicanos duplicou no segundo semestre de 2023

O número de reclamações contra bancos moçambicanos duplicou no segundo semestre do ano de 2023, tendo passado de 349, do período anterior, para 741.

Os dados constam numa nota divulgada pelo banco central na última sexta-feira e que o MZNews teve acesso, sublinhando que o Banco Comercial e de Investimentos (BCI), controlado pelo grupo Caixa Geral de Depósitos, e o Millennium bim, do grupo português BCP, receberam, respectivamente 209 e 169 queixas contra as instituições do sistema financeiro no segundo semestre do ano passado, do total das reclamações contra as instituições do sistema financeiro recebidas no Banco de Moçambique (BdM).

Em causa, segundo a análise global do BdM, estão sobretudo queixas sobre contas bancárias, créditos, máquinas ATM e operações cambiais.

Assim, o BCI e Millennium bim, as duas instituições bancárias e únicas classificadas com mais de um milhão de clientes no País, apresentaram um índice de reclamações (queixas por cada 100 mil clientes), respectivamente, de 9,15 e 8,58 reclamações.

De acordo com a mesma publicação, “os três bancos classificados com 200 mil a um milhão de clientes, os sul-africanos Absa Bank e Standard Bank, juntamente com o Moza Banco, somaram 28, 51 e 30 reclamações, respectivamente”.

A lista do banco central integra queixas relativas a 24 instituições de crédito e sociedades financeiras, entre as quais 14 bancos, seis microbancos, duas cooperativas e duas instituições de moeda electrónica.

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta