Banco de Moçambique abre mais dois processos contra gestores do Standard Bank

Banco de Moçambique abre mais dois processos contra gestores do Standard Bank

O Banco de Moçambique anunciou esta sexta-feira a abertura de mais dois “processos contravencionais” contra dois gestores do Standard Bank, que deverão também pagar, cada um, uma multa de pouco mais de um milhão de meticais.

Cláudio Banze, director de Tecnologias de Informação, e Adimohanma Chukwuma, ex-administrador delegado, cometeram “infrações graves relacionadas com a implementação de uma rede de pagamentos ilegal sediada fora do país”, segundo um comunicado do banco central.

Além da multa, os dois gestores estão inibidos de exercer cargos sociais e de funções de gestão em instituições de crédito e sociedades ­financeiras no país por um período de três anos.

O Standard Bank foi suspenso do Mercado Cambial Interbancário em 23 de Junho, após o Banco de Moçambique constatar “infrações graves” durante inspecções, com destaque para manipulação fraudulenta da taxa de câmbio.

Na altura, o banco central anunciou a abertura de dois processos contravencionais contra gestores do Standard Bank, entre os quais Adimohanma Chukwuama, que tinha sido obrigado a pagar uma multa de seis milhões de meticais e inibido por seis anos de exercer cargos em instituições de crédito no país, sendo este o seu segundo processo.

O banco comercial foi obrigado também a pagar uma multa de 290 milhões de meticais e foi designada uma inspetora residente para acompanhar as atividades da instituição.

Um mês após a suspensão, o Banco de Moçambique autorizou o Standard Bank a realizar actividades cambiais de conversão de divisas com os seus clientes, embora continue impedido de participar no Mercado Cambial Interbancário.

Dados do banco central moçambicano divulgados em Abril apontavam o Standard Bank como o terceiro na lista dos três bancos de importância sistémica em Moçambique, numa lista liderada pelo Banco Comercial e de Investimentos (BCI) e com o Banco Internacional de Moçambique (Millennium Bim) na segunda posição.

Agência Lusa

Partilhar este artigo