Afinal, sabia que ninguém queria para ele se querer!

Afinal, sabia que ninguém queria para ele se querer!

Afinal sabia que ninguém queria para ele se querer

Roque Silva, um membro da Frelimo, aparentemente, sem frescuras de cortesia no trato quando ​se trata de fazer imperar suas ideias! E eu, no meu humilde smartphone, que mais parece uma bombinha com tela, recebi alguns vídeos e “memes” onde a sua postura ditatorial era o que de mais charmoso se notava.

A minha leitura: Estas coisa de ausência de finura ao lidar com as pessoas pode ter a ver com muitos factores, educação e autoconfiança. Sobre educação de R.S vou acobardar minhas opiniões, pois posso cometer gafes, mas meramente digo que a academia parece não lhe ter compenetrado nos miolos. Agora, a autoconfiança, essa digo que parece se ter edificado e​m si, fortemente, nos últimos anos, mais ainda quando se tornou Secretário-Geral da Frelimo em 2017. Um cargo precioso e de alto poder no seio dos camaradas, o mais prestigiado depois do presidente do partido. Talvez isto tenha inflado mais o seu ego após ser reconduzido para o cargo em 2022.

Aliás, a sua barriga, que mais um balão inchado parece, não lhe permite curvar-se sobre ela e cuidar, sozinho, do próprio sapato. Mas R.S tem à disposição um pai de família humilhado, em prontidão para agachar-se e lhe atar os sapatos, num gesto que, com certeza, não está nas suas descrições de trabalho – talvez se encaixe naquelas partes dos CVs onde se diz que a vaga de emprego é para candidatos dinâmicos e proactivos, capazes de fazer mais do que lhes pedem para o sucesso da empresa.

Em determinada ocasião, em 2021, no distrito de Ile, província  da Zambézia, Roque Silva deu a entender que na Frelimo a decisão de determinado membro manifestar sua candidatura a um cargo depende, em primeira instância, do partido.

“Ninguém deve começar agora a se preparar para ser candidato. Essa coisa de ser candidato você não pode ser voluntário. Espera aí! Os outros é que vão dizer que você dá para ser candidato. Ninguém deve ser voluntário: eu quero! Eu quero!  Quem te disse que você deve querer? Nós é que temos que querer você se querer, e não você dizer: eu quero”, disse.

E, até onde a mídia nos mostrou, parece que havia, no partido Frelimo, uma conspiração para levar Roque Silva à ponta-vermelha. Mas todo plano viria a cair no lodo quando os acesos debates na sessão extraordinária do partido, entre sexta-feira e noite de domingo, levaram cinco nomes aos pleitos internos. De todos os cinco, R.S parecia o favorito devido a toda cobertura que parecia ter. Mas a humilhação deu dois sinais logo cedo.

O primeiro foi que o partido já havia preparado uma moção de censura para ele ser afastado do cargo de Secretário-Geral da Frelimo. De alguma forma soube dessa conspiração e tomou a iniciativa de renunciar ao cargo. Queria fintar a humilhação! Assim, também abdicou da qualidade de membro da Comissão Política.

E o segundo foi que na primeira volta, o seu oponente Daniel Chapo obteve 103 votos, mais 26 do que os seus 77 votos, e Esperança Bias três votos. Os outros não ​conseguiram ​votos. Aqui, de certa forma, já se antevia a sua ruína. Com efeito, Roque Silva e Daniel Chapo iriam à segunda volta. Como que antevendo uma humilhação retumbante no seio dos camaradas, Roque Silva desistiu da corrida e deixou Chapo absorver 94% dos votos, tornando-se no candidato da Frelimo para as eleições presidenciais de Outubro próximo.

Por alguns segundos pensei que no calor dos debates internos, Roque Silva engoliu a própria arrogância e esvaziou a petulância da sua barriga espetando-se no umbigo uma agulha.

É caso para dizer: Afinal sabia que ninguém queria para ele se querer!

(Texto: Emmanuel Mocinha)

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

×