FMI quer contribuir para resolução de conflitos no mundo

O Fundo Monetário Internacional (FMI) pretende desempenhar o seu papel na resolução de conflitos no mundo, reforçando as parcerias com outras organizações, incluindo organizações humanitárias, disse hoje um dirigente, por ocasião do Fórum da Paz de Paris.

“A paz faz parte da nossa identidade”, sublinhou Franck Bousquet, diretor-adjunto do FMI, mostrando que o emblema da organização tem um ramo de oliveira, símbolo da paz.

A ligação entre a estabilidade macroeconómica, que a instituição de Washington promove, e a paz é “muito importante”, afirmou.

No total, 20% dos países-membros do FMI são considerados “frágeis” ou são Estados afectados por conflitos.

Conceder empréstimos financeiros é crucial, mas não é suficiente, observou Franck Bousquet, sublinhando que o FMI reajusta a sua estratégia, começando a aumentar a sua presença no terreno.

“Concretamente, isso significa cooperar com o Programa Alimentar Mundial quando se trata de uma crise de segurança alimentar” ou com o Alto Comissariado para os Refugiados quando se trata de uma vaga migratória ligada a um conflito, explicou.

“É uma questão de humildade, de perceber que nenhuma organização pode ter sucesso sozinha num país frágil”, acrescentou.

Trata-se de “aproveitar” o que as associações podem dar em termos de competência. (Lusa)

Partilhar este artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.